Instituto Emílio Ribas revela curiosidades de sua história

Casa Rosada, antigo Pavilhão de Classes, abriga arquivos como os livros de registros

Em funcionamento desde 1880, o Instituto de Infectologia Emílio Ribas só começou a anotar as internações catorze anos depois. O primeiro paciente a constar no livro de registros foi o português Carlos Alberto Pinto, que deu entrada na instituição em novembro de 1894, vitimado pelo cólera aos 40 anos. Essa e outras curiosidades da história do Emílio Ribas podem ser conferidas na Casa Rosada, antigo Pavilhão de Classes — o local era reservado para pacientes mais abastados, como barões. Hoje, o casarão abriga a diretoria do hospital e, por isso, a visitação é restrita.

Comentários
Deixe uma resposta

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s