9 motivos para ir à Campus Party (mesmo sem gostar de tecnologia)

Evento está na décima edição e agrada até quem não é expert no assunto

A mega feira Campus Party atrai milhares de fanáticos por tecnologia de todos os cantos do Brasil. Pode não parecer, mas o evento enche olhos até de quem não é expert no assunto diante dos jogos, campeonatos e inovações. 

Para quem ainda não adquiriu o ticket de entrada, há ingressos disponíveis ao valor de 240 reais que valem para todos os dias do evento realizado até domingo (5) no Pavilhão de Exposições do Anhembi. Veja dez atividades que valem a ida até a feira considerada a maior do Brasil:

1. Corrida de drones

Na sexta (3), rolará a fase classificatória do Primeiro Campeonato de Drones. Serão 32 pilotos, entre eles dez de fora de São Paulo e duas mulheres, uma do México e outra de Minas Gerais. Aqueles que conseguirem os melhores tempos em três voltas no circuito de nove obstáculos competem novamente no sábado (4). Cada disputa é feita entre dois pilotos e dura cerca de dez minutos.

2. Combate de robôs

Batalha de robôs: duas faculdades se enfrentam

Batalha de robôs: duas faculdades se enfrentam (Créditos: Gabriel Maciel/Cintia Souza/Raphael Martinelli)

Todos os dias por volta das 13 horas duas faculdades de tecnologia se enfrentam na arena da Submarino. A briga de robôs tem duração máxima de três minutos, mas pode terminar antes, caso um dos aparelhos destrua o outro. A atração reúne um grande público, além das torcidas de cada equipe que vibram na pequena arquibancada.

3. Simuladores

Na área externa da feira, ficam dez simuladores à disposição do público que quer se aventurar em um voo de asa delta, em um carrinho de rolimã ou até dirigindo um caça em plena 2ª Guerra Mundial. Alguns trazem óculos de realidade virtual, caso do simulador de asa delta, no qual o jogador consegue visualizar o cenário em 360 graus, mexendo o pescoço enquanto é carregado por fios fora do chão.

4. Espaço de start-ups

Start-ups: espaço de inovação (Créditos: Gabriel Maciel/Cintia Souza/Raphael Martinelli)

Os visitantes têm acesso a projetos de empreendedorismo na parte destinada às start-ups. A possibilidade de conversas com criadores ajuda a estimular as ideias dos participantes. Por lá, há cursos e workshops gratuitos.

5. Escape Hotel

Se tem curiosidade de conhecer jogos de fuga como o Escape Hotel sem pagar nada por isso, uma dica: chegue cedo. As senhas são distribuídas pela Rádio Geek e costumam acabar rápido. Com elas, você tem um horário marcado para participar da diversão. A cada rodada, quatro pessoas integram o jogo com temática Illuminati. A equipe tem quinze minutos para desvendar os mistérios necessários para impedir que a próxima tragédia planejada aconteça no mundo.

6. Campeonato de dança em video games

Campeonato de dança: final será realizada em palco principal (Créditos: Veja São Paulo)

Campeonato de dança: final será realizada em palco principal (Créditos: Veja São Paulo)

Surpreendentemente, os espaços mais cheios da feira são os pontos reservados para o Just Dance, video game de batalha de dança. As competições rolam durante o dia todo, basta encarar a fila.

7. Comidinhas

“Quer chá de cranberry?”, ouve-se algumas vezes pela feira. Trata-se de funcionárias do Outback distribuindo a bebida para os participantes da feira. A rede conta também com um lounge onde são servidas gratuitamente especialidades da casa como a bloomin’ onion, cebola frita em formato de flor, a costelinha com molho barbecue e a coxa de frango frita. Além disso, há uma pequena praça de alimentação, com restaurante por quilo e estandes como o do Black Dog.

8. Área de jogos

Área de jogos: fliperamas e pebolim

Área de jogos: fliperamas e pebolim (Créditos: Veja São Paulo)

Na Campus Party, também tem jogos nem tão tecnológicos assim. No centro do pavilhão, há fliperamas, mesas para jogar cartas e pebolim. É um ótimo espaço para descansar nos pufes e se divertir sem precisar ficar em filas.

9. Internet de alta velocidade

Internet: 40 gigabytes

Internet: 40 gigabytes por segundo (Créditos: Gabriel Maciel/Cintia Souza/Raphael Martinelli)

São 40 gigasbytes por segundo que abastecem os fios distribuídos pelas bancadas utilizados por expositores, palestrantes e visitantes. Mesmo sem tecnologia wireless, a alta velocidade é uma das atrações da festas. Tem gente que aparece por lá só para baixar pesados jogos, por exemplo.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s