Bimotor quase repete acidente da TAM em Congonhas

Foi por um triz. Na última quarta, um avião bimotor modelo King Air derrapou ao abortar uma decolagem no Aeroporto de Congonhas. Só não caiu na Avenida Washington Luís porque foi contido por um muro de concreto. Nenhuma das três pessoas a bordo sofreu ferimentos graves, mas o incidente ressuscitou o fantasma da maior tragédia da aviação brasileira: em julho de 2007, um Airbus da TAM não freou durante o pouso e atingiu um prédio, matando 199 pessoas. Muito se falou sobre como evitar novos pesadelos em um aeroporto com 494 vôos diários que transportam quase 36.500 passageiros – e diante de uma avenida por onde chegam a passar 9.000 veículos por hora. O número de vôos foi reduzido, mas ainda faltam área de escape e piso especial que possa reter melhor as aeronaves.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s