Juíza diz que não se arrepende de ter libertado assassino de Glauco

Para rádio, Telma Aparecida Alves falou que Carlos Eduardo Sundfeld Nunes não deve ficar preso por muito tempo

A juíza Telma Aparecida Alves disse que não se arrepende de ter libertado Carlos Eduardo Sundfeld Nunes, o “Cadu”, assassino confesso do cartunista Glauco Vilas Boas e do filho dele, Raoni Vilas Boas, em 2010, em Osasco. Para a rádio Bandeirantes, ela afirmou que não mudaria a sua decisão se tivesse que julgar o caso novamente.

+ Assassino do cartunista Glauco é preso em Goiânia

“Claro que não. Uma coisa não tem nada com a outra. Ele foi julgado e foi absolvido. Quando o juiz paulista o absolveu, ele disse: ‘ele é louco, ele não sabe o que faz, vai ser aplicada uma medida de segurança’, que nada mais é que tratamento psiquiátrico.”

Telma acredita ainda que Cadu não deve ficar preso por muito tempo. “O juiz pode manter ele detido para fazer exames. Ele pode ficar internado, mas é provisório. Recuperou, infelizmente, volta a ser tratado em liberdade.”

+ Polícia prende peruanos suspeitos de furtar celulares na Bienal

Cadu foi preso em Goiânia nessa segunda-feira (1). Segundo a Polícia Civil, ele e um outro homem estavam em um Honda Civic roubado. Os dois são suspeitos de terem matado o proprietário do veículo.

Eles também são apontados como autores de uma tentativa de homicídio durante um assalto. A vítima segue internada em estado grave, segundo a Polícia Civil de Goiânia.

+ MP denuncia pedreiro que atropelou cinco pessoas na USP

Cadu estava em liberdade desde agosto de 2013, quando foi diagnosticado como doente mental e liberado pela Justiça de Goiás.

Cartunista

Em 2010, Carlos Eduardo Sundfeld Nunes invadiu a igreja Céu de Maria, fundada por Glauco, e matou o cartunista e o filho dele. Após fugir, ele foi detido na Ponte da Amizade, em Foz do Iguaçu, quando tentava chegar no Paraguai.

+ Confira as últimas notícias da cidade

Laudo divulgado na época constatava que Cadu sofria de esquizofrenia paranoide, impossibilitando ele de perceber a gravidade de seus atos. Ele ficou internado em uma clínica psiquiátrica em Goiânia, onde recebeu alta médica em 2013.

Comentários
Deixe uma resposta

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s