A evolução da propaganda da cidade

Anúncios antigos publicados em jornais e revistas, do final do século XIX até os anos 50

Em letras garrafais, anúncios de jornais alardeavam: “Escravo à venda”. As peças listavam as principais qualidades do criado, entre elas “sem vícios”, “sadio”, “bonita figura” e “apto para todos os serviços”. Até 1888, data da sanção da Lei Áurea, textos do tipo eram bastante comuns nas páginas dos periódicos. O exemplo, descabido para os dias atuais, mostra como a publicidade vive em constante adaptação. “É preciso acompanhar as mudanças. Elas chegam hoje pela rapidez e mobilidade da internet e do celular”, diz Nizan Guanaes, só cio-fundador do Grupo ABC, dono de agências como Africa, DM9 e Loducca.

+ Os principais cenários usados pela publicidade

No Brasil, a propaganda surgiu no Rio com a mudança da família real para cá, em 1808. Logo depois, chegou a São Paulo. Começou com os classificados. Em seguida, os anúncios ganharam ilustrações e, com o tempo, aprimoraram-se por meio de elaborados desenhos coloridos, cujo objetivo era chamar atenção para as pechinchas. “A publicidade representa os hábitos de consumo de uma época e ajuda a formar o retrato de um período”, afirma Geraldo Alonso Filho, diretor do Instituto Cultural da Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM). Nas próximas páginas, confira a evolução das peças, do fim do século XIX até os anos 50. Os anúncios inicialmente sofreram a influência da cultura europeia, tiveram depois um apelo nacionalista, até atingir o estilo americano.

+ Maurício de Sousa publica foto de criança a favor da publicidade infantil

SÉCULO XIX

Para além de meros classificados, os anúncios ganham ilustrações em preto e branco e variedade de tipografas no fim do século.

ANOS 00

Pipocam as revistas, recheadas de desenhos coloridos. Espalha-se o estilo art nouveau, marcado pelas curvas.

ANOS 20

Com ar europeu, mulheres elegantes estampam páginas de perfumaria e moda.

ANOS 30

Época de instabilidade, surto industrial e apelo nacionalista. A profissionalização das peças ficava cada vez mais aparente.

ANOS 40

A II Guerra Mundial se refletiu nas propagandas. O uso de slogans se intensifca.

ANOS 50

O estilo de vida americano domina a publicidade, repleta de otimismo.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s