Professor de academia é detido com anabolizantes ilegais

Segundo a polícia, o fisiculturista Johnny Cortes, de 27 anos, admitiu vender as substâncias sem registro para frequentadores do treino

O fisiculturista Johnny Cortes, de 27 anos, foi detido na última terça (26) acusado de revender anabolizantes ilegais. O caso aconteceu na região de São Mateus, na Zona Leste da capital.

Johnny estava em uma Tucson com a namorada, a veterinária Nathalia Kumio, e um amigo, o soldado do Exército Edson Feola. Dentro do veículo havia 300 pílulas de metandrostenolona, de origem paraguaia, e mais seis frascos de anabolizantes importados.

De acordo com o boletim de ocorrência, Cortes disse no momento da abordagem que pretendia repassar os produtos ilegais na academia em que trabalha como professor (apesar de não ter concluído a faculdade de educação física). Ele citou o endereço da casa onde teria adquirido os produtos e acompanhou os policiais até lá. No local, os agentes encontraram dezenas de frascos e embalagens para separação das substâncias. Os irmãos Antonio Rodrigo Biondi e Reginaldo Giacon Biondi foram presos em flagrante.

+ Os médicos que receitam bombas

Edson Feola e Nathalia Kumio foram liberados após prestar esclarecimentos no 49º DP de São Mateus. Eles foram identificados no boletim de ocorrência apenas como testemunhas do caso. Johnny Cortes será investigado pela venda de produtos sem registro e está em liberdade.

SOLDADO DO EXÉRCITO

Procurados pela reportagem de VEJA SÃO PAULO, Nathalia Kumio e Johnny Cortes não foram localizados. Carlos Alberto Cortes, pai de Johnny, disse em sua casa, na região da Freguesia do Ó, que o filho não usava bombas e que se prejudicou por tentar ajudar colegas. “Ele ficou muito assustado com o que aconteceu, ainda nem consegui conversar com ele”, conta. 

O proprietário da academia Corpus Life (citada no boletim de ocorrência), que também fica na Freguesia do Ó, Diego dos Santos, disse que Johnny é um frequentador esporádico do local. ” Ele não vendia nada aqui, e, se eu descobrisse algo assim, teria chamado a polícia”, afirma. Na academia Peck Deck (citada por Feola em conversa com VEJA SÃO PAULO), na mesma região, funcionários confirmaram que o fisiculturista é um dos matriculados, mas apenas como aluno.

Feola disse a VEJA SÃO PAULO: “Nós estávamos perdidos e os policiais pararam o carro. Mas eu não tenho nada a ver com esses anabolizantes, não uso. Estava no lugar errado, na hora errada”, conta o soldado do exército.

+ Dr. Barakat vira réu em ação do Cremesp

+ Netinho cita nome de médico que teria receitado anabolizantes que quase o mataram

Johnny1

Johnny1

 

 

Comentários
Deixe uma resposta

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s