Quartos dos sonhos em Paris

Conheça suítes que são sinônimo de conforto e sofisticação na capital francesa

Suíte Royal

Hotel Plaza Athénée

Fundado em 1911, dispõe de 191 quartos. Tornou-se o ‘hotel da alta-costura’ em 1946, quando Christian Dior inaugurou seu ateliê num imóvel vizinho, no número 30 da Avenida Montaigne. A Suíte Royal é a maior e a mais exuberante de Paris e ocupa quase todo o 5º andar. Esparrama-se por 450 metros quadrados, nos quais abriga quatro dormitórios, salas de estar e de espera, escritório e cozinha.

De sua varanda, pode-se ver a Torre Eiffel. Num lugar tão sofisticado, não faltam mimos para os hóspedes. Só para citar um: sapateiros treinados pela renomada casa Berluti à disposição para cuidar dos calçados. A estrela de cinema Marlene Dietrich, quando ali ficava, alugava cinco quartos apenas para suas malas, além de sua suíte. O Plaza serviu de cenário para o último capítulo de ‘Sex and the City’, o que rendeu uma enxurrada de pedidos de reserva de fãs da série — uma noite no quarto mais simples custa 710 euros (1 633 reais).

Suíte Impériale

Hotel Ritz

A decoração vem direto da França do século XVIII. A cabeceira da cama, aliás, reproduz a do móvel em que a rainha Maria Antonieta (1755-1793) dormia, em Versalhes. Com 241 metros quadrados, divide-se em dois dormitórios e sala de estar. O Ritz abriu as portas em 1898 e tem 103 quartos. Quatro suítes são batizadas com o nome de hóspedes célebres, entre elas aquela em que morou a estilista Coco Chanel.

Suíte Royal

Hotel George V

Suíte Royal 2191a

Suíte Royal 2191a

Com 245 metros quadrados, divide-se em dois quartos, cozinha, escritório, sala de estar e de jantar. Antiguidades dos séculos XVIII e XIX se misturam nos ambientes. Fundado em 1928, o hotel integra a rede Four Seasons. Possui 245 dormitórios.

Suíte Bernstein

Hotel de Crillon

Suite Bernstein 2191a

Suite Bernstein 2191a

Seus 245 metros quadrados abrigam dormitório, sala de jantar, lounge e dois terraços de onde se pode ver a Torre Eiffel. Ganhou um piano de cauda para fazer jus ao homenageado que lhe dá nome, o maestro americano Leonard Bernstein. Na decoração, toques do estilo Luís XV combinam perfeitamente com o prédio — na verdade, uma junção de dois palácios —, encomendado pelo rei francês ao arquiteto Jacques-Ange Gabriel. O hotel funciona desde 1909 e tem 147 quartos.

 

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s