Escudo da Itália é uma das figurinhas mais procuradas

Cromo de número 317 foi um dos mais disputados no evento de colecionadores deste sábado

Neymar pode ser um dos jogadores mais badalados da seleção brasileira, mas o nome mais comentado na Praça Victor Civita entre os colecionadores do álbum da Copa foi outro neste sábado (10). Entre os grupos que se formaram para trocar os cromos, o que se escutava com frequência era: escudo da Itália.

+ Corrigimos o Álbum da Copa após a convocação; confira

Segundo muitos colecionadores que passaram pelo segundo evento realizado por VEJA SÃO PAULO essa é uma das figurinhas mais raras do livro.

Acompanhado da tia, Juliana Nunes, o jovem Matheus Prestes pulava de grupo em grupo procurando a figurinha de número 317, a única que precisa para completar o álbum. “Se eu não encontrar, peço para os meus amigos ou divulgo no Facebook.” Enquanto falava com a reportagem, Matheus foi abordado por outros três colecionados que também procuravam o cromo com o escuda da Itália.

Já Renan P. (que não quis revelar o sobrenome por achar que já passou do tempo de colecionar figurinhas) veio com um amigo com apenas um objetivo: “Queremos terminar “. Quase no final do evento, ele tinha conseguido trocar dez cromos, porecisando apenas de três para fechar a coleção.

Evento de Figurinhas Veja São Paulo

Evento de Figurinhas Veja São Paulo

Alexandre Feldman trouxe os filhos Daniel e Amanda para procurar pelos números que ainda faltavam. Trocaram 35 figurinhas, mas estavam tendo dificuldades em encontrar números como a 4 (uma das metades do mascote Fuleco) e a 555, que representa Michael Bradley, jogador da seleção dos Estados Unidos. 

+ Veja programas especiais para entrar no clima da Copa do Mundo

No final, conseguiram algo bem valioso: ajudaram um colecionador a completar o álbum e, em troca, pegaram todos os cromos repetidos que precisavam. “Um evento assim é muito saudável, são famílias participando. Em uma cidade grande como São Paulo, sentimos falta dessa interação com as pessoas”, diz Feldman.

Segundo a Panini, 8,5 milhões de álbuns foram impressos no país neste ano, ante 5 milhões na Copa da África do Sul de 2010. Com o crescimento de 70%, esta é a maior operação já realizada pela editora. A Grande São Paulo concentra 35% das vendas do produto no Brasil, que é o principal consumidor desses cadernos no mundo, à frente da Alemanha, o segundo mercado.

Leia aqui  como a mania de troca de figurinhas está movimentando a cidade e alguns outros endereços para trocar os cromos repetidos.

Comentários
Deixe uma resposta

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s