Achados e perdidos do Parque Ibirapuera tem mais de quarenta chaves

Todos os dias, pelo menos três pessoas procuram Evangelista Bernardo Viana atrás de chaves desaparecidas. Conhecido por “Maizena”, ele é proprietário do bicicletário do Parque do Ibirapuera. Há vinte anos, teve a idéia de montar um curioso cantinho de achados e perdidos. Num arame, ficam dependurados cerca de quarenta molhos de chaves. “Já trouxeram até um relógio de ouro para eu guardar”, diz ele. “O dono apareceu depois de dois meses.”

Comentários
Deixe uma resposta

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s