Postado em 16/06/2014 por Ricky Hiraoka
65 comentários | Comente

“Elite branca europeia sofre preconceito”, diz dona do Coffee Lab

Isabela: post polêmico no Facebook

Isabela: post polêmico no Facebook

Causou furor nas redes sociais o post da empresária Isabela Raposeiras, dona do Coffee Lab, no qual ela diz que a “elite branco-europeia” sofre preconceito no Brasil. Ela se referiu à série de críticas feitas ao público do jogo de abertura da Copa do Mundo, que xingou a presidente Dilma Rousseff e foi condenado depois por articulistas e pelo ex-presidente Lula, que falou em “elite conservadora”.

O texto publicado na página do Coffee Lab no Facebook já teve quase 1.400 compartilhamentos e mais de  1100 comentários.

Eis o texto: “Descobri na semana passada que faço parte de uma minoria que sofre preconceito e discriminação: a elite branco-europeia nascida no Brasil. Sim, sou branca e, pelo jeito, elite. Tenho uma empresa que emprega (e paga acima do mercado) há 10 anos. Pago TODOS os impostos (motivo de incredulidade e chacota por parte de familiares). Pago no mínimo 3 vezes mais aos meus fornecedores de café, podendo chegar a 5. Poderia ter comprado os caríssimos ingressos para a abertura da copa brasileira. Apenas não o fiz por não apoiá-la desde seu anúncio, anos atrás. Conquistei, trabalhando honesta e enlouquecidamente, cada vitória e crescimento, da empresa e na minha vida pessoal. Não sentirei vergonha pelas minhas conquistas, pelo meu status social, pela minha pele branca. E minha empresa, certamente, faz muito do que o governo deixa de fazer, ajudando famílias, fazendo doações e, especialmente, pagando dignamente – fornecedores e funcionários. Sou parte desta nação, tanto quanto aqueles que têm outro tipo de ascendência ou que sofrem exatamente pela negligência dos que me discriminam. Discriminação é crime e minha voz é representativa, sim.”

Abaixo, Isabela explica ao Terraço Paulistano por que decidiu se manifestar nas redes sociais.

Por que decidiu se manifestar?

Primeiro, quero deixar claro que não sou elite. Sou trabalhadora. Sou uma empresária farta de ter meus impostos usados de forma incorreta. Me revoltei quando vi nosso ex-presidente se referir de forma jocosa a pessoas que trabalham e que por isso têm dinheiro para comprar os ingressos da Copa. As pessoas que estavam nos estádios são muito trabalhadoras. O termo elite foi usado por ele. Eu não gosto de fazer essa distinção. Como eu posso ser considerada elite? Eu trabalho doze horas por dia. Sou trabalhadora, não vim de família rica. Já morei em cortiço com ratinho quando minha família faliu.

Acreditava que seu post teria tamanha repercussão?

Jamais imaginei uma repercussão. Acho que toda essa polêmica aconteceu porque as pessoas não entenderam o que escrevi e acharam que estava falando de racismo. Meu texto não é sobre isso. Se houve incompreensão é porque o assunto é delicado. Quem falou de cor foi o Lula. Falei sobre gente que trabalha, paga imposto e quando reclama é criticada e chamada de elite.

Teme sofrer retaliações?

Eu só lamento se as pessoas pararem de frequentar o Coffee Lab por isso. Quem se posiciona se expõe. Temos que arcar com as consequências de nossas colocações mesmo quando mal interpretadas. As pessoas que me conhecem sabem que não sou racista por inúmeras razões.

+ Um especial com os melhores arraiais da cidade

Posts relacionados:

Comentários sobre "“Elite branca europeia sofre preconceito”, diz dona do Coffee Lab" | Comente

  1. Adriane comentou em 16/06/2014

    Lamento por vc e entendo sua Manifestação. Não sou de partido nenhum, sou uma cidadã tbm descontente e sem esperança de mudanças, vejo SP largada, tudo tudo tudo! Av Paulista se transformando em uma Pça da República (LIXÃO) no centro.
    Infelismente as Pessoas tem a mania de julgar como estão te julgando sem entender ou procurar saber a sua razã ou seu argumento.
    Não sou de Igreja nenhuma, mas que Deus abençoe que vc consiga trabalhar e as pessoas saibam separar e pretigiar seu agradável estabelecimento!
    Boa sorte!

  2. Fotógrafo comentou em 16/06/2014

    Essa desonestidade dos políticos do PT precisa ser desmascarada, dividir a sociedade em grupos e coloca-los uns contra os outros é uma tática para desviar a atenção para que não se discutam os problemas realmente importantes. O PT incentiva a discórdia de pobres contra não-pobres, gays contra héteros, negros contra não-negros e assim por diante.

  3. Elisangela Agapito comentou em 16/06/2014

    Parabéns Isabela pela colocação não é só você quem sofre com isso tem muita gente que sofre com esse absurdo

  4. Patrick Mello comentou em 16/06/2014

    A inveja é uma m3rd@…Quem quiser ser feliz, que fuja dessa pocilga.Isso aqui virou uma várzea…

  5. Daniel Prandini comentou em 16/06/2014

    Isso é uma maneira de manipulação de classes e é facil atacar e por a culpa em pessoas que trabalharam e trabalham, pagam os impostos que dão bolsas a outros nem sempre necessitados e tudo mais.
    Apoio total

  6. Marcelo Grosso comentou em 16/06/2014

    Achei perfeito! Essa menina é o máximo!!! Liberdade de expressão existe para quem então? Sou empresário e trabalhador também.

  7. LUISA EDRAN ALVES DE ARARIPE comentou em 16/06/2014

    QUERIDA NÂO DEIXE QUE NADA NEM NINGUÉM VENHA OFUSCAR O TEU BRILHO …A CAMINHADA É LONGA ENTÃO NÃO ESQUEÇA QUE O SOL NASCEU PARA TODOS, MESMO COM DIFICULDADES TEMOS QUE PROSEGUIR,…

  8. egidia comentou em 16/06/2014

    Li a reportagem….e ela tem toda razão …. quem disse cor e elite foi o Lula, e ela apenas se defendeu como o resto das pessoas que leram o que ela disse na reportagem…falei….

  9. Roseli Melli comentou em 16/06/2014

    Entendi perfeitamente o seu posicionamento. Em momento nenhum você citou racismo.

  10. Marlise Montes comentou em 16/06/2014

    Continue sendo correta e honesta e mude o pensamento da sua família! Se tivessem pessoas como vc no estádio talvez não teríamos visto cenas vergonhosas de tanta falta de educação ou vc também xingaria?

  11. Suzerlymoreno comentou em 16/06/2014

    Eu trabalho há 43 anos. Sou advogada pública, tenho orgulho do meu trabalho e da posição que conquistei. Não sou elite e nem coxinha! O pouco que o Governo fez foi porque ” a eleite que trabalha” pagou seus impostos. Tenho muito medo desse nosso ex Presidente! Medo, pois ele é inconseqüente, rico e nunca trabalhou!

  12. Cláudio Toma comentou em 16/06/2014

    Cara Isabela
    Com certeza você expôs o que está engasgado na garganta de muitos brasileiros trabalhadores, geradores de emprego e pagadores de imposto. Estamos sobrecarregados de impostos e temos que agüentar esses hipócritas , vagabundos e ladrões que estão no governo jogando brasileiros uns contra os outros para tentar se manter no poder.
    Parabéns pela coragem.

  13. Gi Miranda comentou em 16/06/2014

    eu apoio totalmente o seu texto !

  14. Leonard comentou em 16/06/2014

    Parabéns pela coragem. Existe discriminação e preconceito sim contra essa “elite branca paulista”, é só ler os comentários raivosos e agressivos da publicação do Facebook pra constatar. Sucesso no seu empreendimento, Isabela! Empreender no Brasil corretamente como você faz, com toda a burocracia e roubalheira do governo, é pra poucos! Infelizmente a “elite branca paulista esquerda caviar”, comunistas sustentados pelos pais ou por serviços públicos, não deve fazer idéia das dificuldades de um empreendedor num meio hostil como esse brasileiro. Parabéns e sucesso!

  15. Evaristo Cena comentou em 16/06/2014

    Estou com ela , sou filho de Imigrantes Europeus , estudei em escola , usei muita roupa dos meus primos mais velhos , e tive que trabalhar muito para pagar minha faculdade e ralar muito para chegar aonde cheguei , não aceito que ninguém me rotule , eu sou um batalhador , vencedor , pago meus impostos e exijo respeito não aceito rótulos , nem acredito em divisão de raças , somos todos iguais uns mais esforçados outros menos desde o início da história da humanidade.

  16. Celso Pintor Gois comentou em 16/06/2014

    Ela se esforçou, batalhou e teve seu reconhecimento em forma de prosperidade. Sua voz tem valor , sim. É preciso desmistificar esta questão da luta de classes. O sucesso ou fracasso existe para todos, independentemente da origem. Dizer que os brancos de olhos claros são os responsáveis pela miséria no país é uma visão simplista da realidade, carregada de forte componente racista.

  17. Clodoaldo Moreira comentou em 16/06/2014

    Graças a Copa do Mundo, estamos lavando a roupa suja em casa e pra todo o mundo ver. Somos um país dividido há séculos, mas de uns anos pra cá, isso tem ficado mais claro, mais escuro, mais claro, mais….ë complicado se sentir minoria, ser discriminado pela maioria. O mundo mudou ou seria que os oprimidos estão virando opressores????

  18. rrobertoROBERTO CONTRUCCI contrucci comentou em 16/06/2014

    PERFEITA A SUA COLOCAÇÃO, PELO MENOS,VOCÊ ESTÁ CERTA E NÃO É RECALCADA.TRABALHA E PAGA IMPOSTOS,IMPOSTOS ESTES,QUE ALIÁS,FICAM MANTENDO OS BOLSAS ESMOLAS DA VIDA…

  19. Mariana Martins comentou em 16/06/2014

    Essa menina não deve conhecer como os “‘tais branco europeus” chegaram ao Brasil. Foram expulsos de suas terras, banidos como cães bernentos e portanto não pertencem mais a Europa; Quanto muito pertencem a “zelite de Sampa”

  20. Natercia Calixto comentou em 16/06/2014

    Perfeito está avaliação, pois eu não fui aos estádio, apesar de amar futebol e apoio as manifestações que ocorreram, para mostrar que brasileiro não é idiota. Eu também pago impostos e não vejo o retorno para o povo. Então Sr Luis Inácio lula da silva, preste mais atenção antes de fazer seus comentários infeliZes e inconseqüentes que sempre faz. Quem está disseminando o,ódio entre os brasileiros é o seu PT, através principalmente de seu discurso irresponsável.

  21. NVe comentou em 16/06/2014

    Não deveria ter falado nada, grande parte dos brasileiros, não sabe interpretar texto, os governos, não priorizam educação, ai, não conseguem entender , e muito menos se posicionar deforma correta, simples assim, muito barulho por nada…

  22. Ana Gleide comentou em 16/06/2014

    Adorei o seu texto e entendi perfeitamente, o pt esta tentando manipular o povo brasileiro usando estratégias do nazismo, briga de classe sociais, e raças.Mas não vamos permitir devemos nos manifestar sim.

  23. daniel toretto comentou em 16/06/2014

    Na verdade você, é muito linda e atraente kk

  24. sergio antonio da silva comentou em 17/06/2014

    Eu sou branco e nao tenho sobrenome europeu e muito menos sou da elite e tambem nao sou empresario ! Sou trabalhador e tenho q trabalhar em dois empregos pra me manter e concordo com vc !

  25. Felipe Mário comentou em 17/06/2014

    Brasil, um país onde ser bem sucedido é crime.

  26. Francisco de Assis Ferrato comentou em 17/06/2014

    PT quer colocar grupos de trabalhadores uns contra os outros, patrões contra empregados. Quem trouxe a Copa foi o PT e nada fez para o preço dos ingressos serem acessíveis a toda a população.

  27. Regina Romiti comentou em 17/06/2014

    Total apoio à Isabela! É tempo de manifestarmos nossa indignação frente a tudo o que de errado tem sido implantado em nosso país. Isabela faz parte de minoria sim. Somos minoria todos os que conquistam com esforço próprio seu espaço e dignidade nesta sociedade. Nós, fatia minoritária e que sustenta o país, identificados com o desabafo de Isabela, pagamos caro! Somos espremidos pelas pontas de uma sociedade erigida na manha, que se esforça ao contrário, querendo vida fácil. Nosso governo? Sempre e jocosamente compactuando apenas com a malandragem. Difícil mesmo, Isabela!

  28. Carlos comentou em 17/06/2014

    Parabens Isabela.

  29. Adriana Lisboa comentou em 17/06/2014

    Sinto o mesmo que ela. Vim de família humilde. Trabalho 16 horas por dia! Nenhum governo me beneficiou em nada! Tudo que conquistei foi com trabalho honesto. Pago milhares de reais de impostos todos os anos. O problema dessa gente que ocupa o governo é colar a culpa de seus fracassos, de sua incompetência e de seu insucesso, nas “elites” , ou seja: todo aquele que discordar e criticar o governo, é elite. Estamos todos de saco cheio! Se assim for, somos todos elites!

  30. HEITOR comentou em 17/06/2014

    Dou inteiramente razão a esta senhora vivi muitos anos no Brasil quando era jovem e frequentava clubes de dança e sabem o que me chamavam de branquela porque minha pele era branca me apercebi nesse tempo que ser branco era sinónimo de chacota mas não gostava de ser chamado assim por isso o racismo tanto é de um lado como do outro se somos todos seres humanos não se deve de descreminar ninguém pela cor de sua pele

  31. Manoela Santos comentou em 17/06/2014

    Concordo com o que ela disse!. E vemos que até mesmo a própria reportagem em seu título instiga a uma reflexão nada boa, pois se utiliza de uma frase fora de seu contexto…. infelizmente as pessoas fazem isso hoje….não entendem o todo….retiram apenas parte sem entenderem o contexto ao qual foram inserida….. Li a reportagem, pois já olhei negativamente para o que foi exposto, mas ao final de toda a fala dela, vi que não foi o que me induziram a pensar!!! Fica a dica: Verifique o contexto antes criticar e acreditar!!!!

  32. isaura Maria comentou em 17/06/2014

    Trabalhar pagar impostos ser branco descendente de Europeus agora é crime?Entendo perfeitamente o que Isabela sentiu

  33. Penha S comentou em 17/06/2014

    Para os teóricos a postura não é recomendada.Parabenizo Isabela pela coragem. Isabela, me representa!

  34. rocha comentou em 17/06/2014

    tb sou trabalhador, 12 horas por dia, brasileiro, emprego 63 funcionários, iniciei Deus, Eu, e os pretensos clientes. Conheço de conviver 27 paises. Tenho preconceito com quem não aceita trabalhar, com quem não acredita antes de mais nada em si e quer dar lição, tenho preconceito com gente intelectualóide e fica destilando veneno e arrogância. Precisamos ser mais NACIONALISTAS, ter respeito para poder cobrar, e não fazer parte desta sociedade eletista,

  35. Elda Noemí comentou em 17/06/2014

    Conheço mta gente que não pertence a nenhuma elite e que comprou ingresso pra Copa em inúmeras vzs no cartão, não pq o ex presidente manipulou para que o evento fosse no Brasil, mas pq tem o coração verde/amarelo/azul e branco e tb se emociona ao ouvir o hino Nacional. Aliás, são poucos os jovens da geração bolsa família que sabem cantar o Hino Nacional! Prestem atenção quem são os que conhecem a ultra do hino de forma correta…isso é fruto do descaso do governo com a educação; amar e respeitar meu País não me faz importante, apenas obrigatória do meu dever de cidadã, e reflete no meu voto na urna! Pensem nisto! Tb me considero como a empresária, e NÃO jogo meu voto no lixo votando no PT.

  36. Newton Coltro Filho comentou em 17/06/2014

    Concordo plenamente com a Isabela. Eu e minhas filhas somos loiros de olhos claros e há tempos temos conversado sobre esse assunto. Somos de ascendência italiana mas estamos nos sentindo intrusos em nosso próprio país. Me sinto desrespeitado quando vejo que, por não ser negro, não tenho prioridade em concursos, faculdades e no serviço público. Mais uma vergonha!

  37. Marta Villela comentou em 17/06/2014

    Adorei!! Falou tudo! Não tem nada a ver com racismo e sim com trabalho duro, que não importa a cor e sim o caráter e a disposição!!

  38. Marco Aurélio comentou em 17/06/2014

    Ela deseja fazer parte da elite branca brasileira, uma microempresária está longe de fazer parte da elite, na verdade é da medíocre classe média paulistana, que é sim conservadora e que por ignorância se deixou levar pelos discursos da verdadeira elite brasileira, que com intuito de alienar diz que são elite por ter um diploma e pagar impostos, a classe média nunca será elite enquanto não ser proprietário dos meios de produção, pois só existe duas classes os trabalhadores e os que detém os meios de produção.

  39. Ronaldo comentou em 17/06/2014

    Olá,

    Lendo o texto fico maravilhado com a sinceridade e discernimento da Isabela Raposeiras. Sempre ouvi a palavra “Elite” no Brasil como um termo jocoso, grosseiro e pejorativo. Concordo que todos nós queremos fazer parte de uma “Elite que pensa”, uma “Elite que tem o discernimento do politicamente correto”, da “Elite intelectual”. Agora ofensivo mesmo é ser uma “Elite do futebol”..essa realmente doi..

  40. aline comentou em 17/06/2014

    Qual o problema de ser elite?

  41. LEONOR FERNANDEZ comentou em 17/06/2014

    Pelo amor!!…Simplesmente ridículo!…conheço muita gente de classe média alta como você que não fez isso, pois tem dignidade e não precisa!…quer aparecer!

  42. Ericson Straub comentou em 17/06/2014

    Sabe o que é mais engraçado. Esta “elite” sofre preconceito dos dois lados. Do governo de “esquerda” que culpa a elite nos estádios pelas vais (por sinal uma demonstração de muita falta de educação) e por aqueles que também não apoiam a copa e dizem que somente a “elite branca conseguiu comprar ingressos”, o que não é verdade. Esta me enchendo comentários no face (mais ainda de quem é contra a copa) que chegam a ser pregadores de uma luta de classes contra quem apenas ama e quer ter o direito de assistir a copa, independente de política.

  43. Larissa comentou em 18/06/2014

    “As pessoas que me conhecem sabem que não sou racista por inúmeras razões. Inclusive, tenho até um amigo que é negro”

  44. Marco Aurélio comentou em 18/06/2014

    Se formos a origens de nosso país, não devemos não ter vergonha da ascendência europeia, mas devemos ter vergonha sim do passado escravocrata que tivemos nestas terras e que terminou há pouco mais de 100 anos. Diferentemente dos EUA por exemplo, onde foram feitos esforços para garantir a igualdade de direitos entre brancos e negros, no Brasil reinou um racismo velado.
    No Brasil os Negros nunca tiveram o mesmo tratamento que os brancos e a democracia racial é um mito que serve para mascarar o racismo.
    Quanto a questão de trabalhador e não trabalhador é muito simples. Trabalhador é o cara que vende sua força de trabalho, quem compra força de trabalho em grande escala obtém mais valia ( lucro ).
    Pelas regras do Capitalismo nada de errado em enriquecer assim, é possível fazer isso pagando salários acima da média como a autora do texto disse. Porém toda grande fortuna é fruto da apropriação de uma parte do trabalho alheio. Isso é fato.
    Cada ser humano tem um limite de riquezas que consegue produzir. Para acumular mais que isso é preciso explorar o trabalho alheio.
    Então essa elite que para com esse discurso de coitadinhos que pagam terríveis impostos, o governo é o bastião que garanta a lucratividade dos seus negócios.

  45. Sabrina Maneschi comentou em 18/06/2014

    Como eu já havia dito anteriormente, qualquer tipo de preconceito faz desse país o que é!
    Até agora não entenderam que não tem nada a ver com a cor da pele ou classe social! Tem muito pobre que é branco também, talvez o contrário nem tanto infelizmente mas, não é com nenhum tipo de preconceito que vamos mudar isso. Ao contrário, acredito que qualquer rótulo só piore. Aproveitando o assunto acho que ao invés de cotas pra negros deveria ter cotas pra pobres, porque devem ter muitos que não são nem negros e nem pardos e que devem se sentir excluídos! Isso é meu ponto de vista pessoal. Voltando ao assunto quero parabenizar a empresária Isabela Raposeiras pela sua entrevista! Realmente é uma pena que muitos intelectuais, políticos e ex presidentres tenham tido a infelicidade de usar tais rótulos como “brancos ricos” e “elite branca”, como se, por acaso, eles fizessem parte de algum outro tipo de elite, que não essa. Tamanha hipocrisia de todos, uma vez que são todos brancos, com uma conta bancária aqui e no exterior com valores incalculáveis, com convênio médico particular, com educação em escolas privadas e não públicas (com exceção do Lula que não sei onde estudou), trabalhando em meios de comunicação muitas vezes por indicação dessa “elite branca” ao qual fazem parte! Esquecem que tem pessoas normais, independentemente da cor da pele, que trabalham duro, ralam 12 horas por dia e as vezes mais que isso, pagam seus impostos e podem gastar o seu dinheiro HONESTO se quiserem, na abertura da Copa ou em qualquer outra coisa que seja porque, elas trabalharam HONESTAMENTE para ganhá-lo e nem por isso fazem parte de “elite” alguma. Vale lembrar que uma grande parte dos ingressos foram distribuidos aos VIPS dos partidos e quem pagou fomos todos nós: O POVO BRASILEIRO!!!!
    Se vc não foi na abertura da Copa porque não faz parte da “elite” e porque não tinha dinheiro para comprar, NÃO FIQUE TRISTE! Lembre-se que ao menos você ajudou a pagar os tantos mil ingressos VIPS que foram distribuidos pelo PT, pessoas essas que poderiam perfeitamente ter comprado, como os nossos vereadores, porque ganham vergonhosamente para isso! Na hora da urna lembresse disso!

  46. Paulo Jorge comentou em 18/06/2014

    “Um dia, vieram e levaram meu vizinho, que era judeu. Como não sou judeu, não me incomodei. No dia seguinte, vieram e levaram meu outro vizinho, que era comunista. Como não sou comunista, não me incomodei. No terceiro dia, vieram e levaram meu vizinho católico. Como não sou católico, não me incomodei. No quarto dia, vieram e me levaram. Já não havia mais ninguém para reclamar” Martin Niemöller – 1933 – Símbolo da resistência aos nazistas. … …

    …AGORA!… Um dia os jornalistas são ameaçados. Como não sou jornalista… Noutro dia a elite é ameaçada. Como não sou da elite… Vão AGUARDAR a próxima perseguição?

  47. Douglas comentou em 18/06/2014

    Apoio total para a Isabela. Se tem um ser humano preconceituoso nessa história é o Lula e também a senhora Dilma que não fica para trás.

  48. Bianca comentou em 18/06/2014

    Pega metro? Anda de busão? Depende do SUS? Ensino público?
    Pois é A MAIORIA DAS PESSOAS DESSE PAÍS sim!
    Isso é não ser elite! Dona de uma empresa que vende café a preço de rim é elite sim e ponto! A torcida brasileira nunca foi tão mal representada como está sendo nessa copa! Só dá coxa! Vão assistir o jogo em Miami dentro de uma bolha!

  49. Bianca comentou em 18/06/2014

    O único comentário válido é o do Marco Aurélio, graças a ele não quero mais me suicidar!

  50. Luciene Weiland comentou em 18/06/2014

    Eu fico perplexa com a falta de discernimento e o apelo de pertencer à alguma coisa que está levando as pessoas a se tornarem ridículas. Todo mundo quer levantar uma bandeira e mostrar que pertence à alguma coisa. É a crise de sujeito na contemporaneidade. Todo mundo quer aparecer, na sociedade do espetáculo da fama de quinze minutos, não importa o quanto isso vai lhe render. E o pior é que muitos acham que ao se fechar em grupos: “grupo dos drogados”, “grupo dos empregados domésticos”, “grupo hetero”, “grupo das vadias”, “grupo dos novos ricos”…. Estamos nessa polarização fortalecendo quem está acima de nós no poder. O maior medo das primeiras organizações da luta proletária, era exatamente à organização unica, e segundo Deleuze na sociedade de “controle” que se opõe à sociedade “disciplinar”, teorizada por Foucoult, uma das metas é essa polarização. Todos estamos vigiados, controlados, mas a falsa impressão de que estamos protegidos quando estamos em algum grupo, não importa qual, nos dá uma sensação distorcida de liberdade. Assisti uma palestra recentemente no Café Filosófico, com Demétrio Magnoli, o tema é: Manifestações sem Direção, quem se interessar veja, é muito interessante para entendermos à postura dessa moça, e de tantos outros que querem aparecer de qualquer forma, não importa o quanto vai se expor, seja através da ostentação, da exacerbação de culto ao corpo, ao gosto duvidoso, o importante é aparecer, e essas pessoas acabam aparecendo de uma forma ou de outra, porque há muita gente que nem sabe porque está no mundo, é a crise de identidade e de valores.

  51. maria augusta comentou em 18/06/2014

    Eu tambem sou de origem europeia, e ao contrario do que foi afirmado em um dos comentarios, meus ancestrais nao vieram corridos e nao eram pobres! E dai? Por um acaso seriamos menos brasileiros?
    O tal do Marco Aurelio, acha que a unica possibilidade de se construir fortuna e explorando o trabalho alheio. Isso e fruto de uma mentalidade tacanha terceiro mundista, se o trabalho e remunerado nao ha que se falar em escravidao! Alguns sao mais competentes do outros. Mas como bom petista que me parece ser, carrega uma enorme baixa estima e um colossal complexo de inferioridade.
    Sou branca, empresaria, anti-petista e filha de pai rico, tenho entao menos direitos? Devo ser discriminada por isso? So se esquecem de lembrar que sao os impostos pagos pela “elite” e pela grande maioria dos Trabalhadores honestos e esforcados que sustentam essa corja perdularia e desonesta que nos governa e seus incapazes e preguicosos fies adoradores. Brasil acabou…!

  52. Andre Luiz de Almeida comentou em 19/06/2014

    Concordo com o comentário que o Marco Aurélio fez dia 17, logo acima.
    Ca entre nós ela meio que ta se fazendo de vitima, provavelmente é melhor ser da “elite” branca do que pobre e negro.

  53. Adla Viana comentou em 19/06/2014

    Considerar a obrigação relacionada aos direitos trabalhistas e não sonegar impostos um grande feito é, no mínimo, engraçado. Ser vangloriado por não ser corrupta, e não fazer mais do que o mínimo, e que não garante nenhuma extinção da exploração de mão de obra, é ridículo.

  54. Rogerio Silva comentou em 19/06/2014

    Vivemos num País de inversão de valores.. gostaria muito de dar o troco a todos os políticos nas urnas, mais me pergunto!! votar em quem?? existe algum candidato honesto e bem intencionado em mudar toda essa situação que o Brasil vive atualmente??

  55. Rafael Rinö comentou em 19/06/2014

    O melhor dessas notícias non-sense, com certeza, são os comentários. Uma obra de arte!

  56. Celeste carvalho comentou em 19/06/2014

    Nunca tinha ouvido falar em “elite branca européia”, contudo, respeito alguem que trabalhou duro e conseguiu um lugar ao sol para sobreviver. E tem o direito de ir e vir e ninguém deveria criticar isso!

  57. luiz sena comentou em 19/06/2014

    Isabela, parabens, estou contigo. Quando for à SP terei o prazer de tomar varios cafés em seu estabelecimento.

  58. Fernando comentou em 19/06/2014

    Marco Aurélio, meu amigo, feche o seu Mac, desligue o seu IPhone e Galaxy…. Afinal são frutos da mais valia obtida pelo Steve Jobs (e outras) em cima dos seus trabalhadores, frutos das perversidades do capitalismo, né?; ou será que esse modelo também permite inovar, gerar comodidade, criar e difundir tecnologias, inovações incríveis e tudo o que as classes ascendentes e não ascendentes adoram ter em casa? É incrível como vejo gente que tem um discurso radical de esquerda e não abre mão de ter um Apple! Contradição….

  59. Evertonight comentou em 19/06/2014

    A liberdade de expressão não se restringe a nenhuma classe. O problema em comum é esse governo, que provoca essa “revolta de classes” e desde então cria um abismo entre os pobres e os ricos. Procuro nem mais expressar a minha opinião em relação ao assunto, pois a realidade nunca muda. O preconceito está nas pessoas, enquanto o poder ter mais valor que o caráter, muitos se acharão melhores e outros fracassados. Cada um é o que pensa e age.

  60. Condessa comentou em 19/06/2014

    Repassem o desabafo dessa brasileira indignada, antes que a Princesa Isabel e sua corja de abolicionistas jacobinos mande retirar das redes sociais.

    ===================

    Descobri na semana passada que faço parte de uma minoria que sofre preconceito e discriminação: a elite branco-européia nascida no Brasil. Sim, sou branca e, pelo jeito, oligarca.

    Tenho uma fazenda exportadora de café que possui (e comprou, pagando acima do mercado) mais de 100 escravos negros. Pago TODOS os impostos ao Império (motivo de incredulidade e chacota por parte dos meus amigos da Maçonaria). Dou no mínimo 3 vezes mais comida aos meus negros, podendo chegar a 5.

    Poderia ter comprado os caríssimos ingressos para o recital de abertura do Theatro São José. Apenas não o fiz por não apoiá-lo desde seu anúncio, anos atrás.

    Conquistei, expulsando honesta e enlouquecidamente, cada índio e posseiro que ocupavam as terras da minha família e a minha chácara pessoal. Não sentirei vergonha pelas minhas conquistas, pelo meu status social, pela minha pele branca.

    E minha fazenda, certamente, faz muito do que o governo imperial deixa de fazer, ajudando as famílias dos escravos, fazendo doações às obras da Santa Igreja e, especialmente, pagando dignamente à São Paulo Railway Company e aos funcionários dos escritórios de exportação de Café em Santos.

    Sou parte desta nação, tanto quanto aqueles que têm outro tipo de ascendência ou que sofrem exatamente pela negligência dos que me discriminam.

    Discriminação é crime e minha voz é representativa, sim.

  61. silmara comentou em 20/06/2014

    O PT é uma praga neste país daqui a pouco seremos obrigados a sentir vergonha de sermos honestos e por batalharmos pelos nossos objetivos.

  62. Roberto comentou em 23/06/2014

    A mulher é empreendedora, bem sucedida profissionalmente, gera empregos, paga impostos e ainda é por cima é uma gata! O que fazemos com essa inimiga da revolução? Ora, vamos apredejá-la!

    Isabela, fiquei teu fã e serei seu cliente no Coffee Lab.

  63. t@ideias.eng.br comentou em 30/06/2014

    Lendo: “Bianca comentou em 18/06/2014: O único comentário válido é o do Marco Aurélio, graças a ele não quero mais me suicidar!”…
    Então fico triste pelo comentário do Marco… Sem ele pode ser que essa cidadã ai já tivesse se suicidado…

  64. Hipolito M. Wiseman comentou em 01/12/2014

    muito bom. gostei muito da postagem

  65. Rogério comentou em 24/05/2015

    O jogo político é responsável por isso, a quantidade de votos é o que dá poder aos políticos e as classes sociais maiores são a minoria. Os políticos vencem as eleições com argumentos que geram a luta social e a violência.

Comentar sobre "“Elite branca europeia sofre preconceito”, diz dona do Coffee Lab"