Conheça Bruninha Fitness, a camgirl da vez

Bianca Nery, de 27 anos, ganha em média 15 000 reais por mês se exibindo nas madrugadas

Difícil quantificar o sucesso de uma camgirl – afinal, não existe um Ibope do setor -, mas alguns números de Bruninha Fitness demonstram o tamanho do fenômeno. Suas exibições na Erotika Exxxperience, evento erótico em São Paulo, foram as únicas cobradas (20 reais por pessoa e 200 reais o gold show, como se chama a sessão exclusiva). E lotaram os cinquenta lugares das mais de dez apresentações. Ela ganhou o patrocínio da Loja do Prazer, maior sexshop online no Brasil com sede no Jabaquara, e hoje tira aproximadamente 15 000 por mês se mostrando para as câmeras entre 23h e 4h30. É o dobro da média das outras meninas do mercado. “Adoro me exibir”, conta.

Bianca Nery, de 27 anos, virou Bruninha Fitness em 2010, com seus 1,68 metro de altura, 71 quilos e 20% de gordura corporal conquistados graças a duas horas diárias na academia. “Meus amigos diziam que esse nome era a minha cara. Nem pensei na Bruna Surfistinha ao escolher esse codinome”, jura.

Show na Erotika Exxxperience, na primeira semana de junho: sucesso de público (Divulgação/Veja SP)

Formou-se em educação física em Balneário Camboriú, Santa Catarina, onde mora, e dá algumas aulas de personal trainer (mas nessa atividade, usa seu nome de batismo, pois alguns clientes nem sabem que malham com uma starlet do mundo pornô). “Comecei a trabalhar com as câmeras porque havia acabado de sair de um emprego de atendente de loja e não tinha nenhuma perspectiva”, conta. “No fim, além de ganhar dez vezes mais, peguei carinho.”

No início, ela não mostrava o rosto. Mas um ano depois, um “fã” revelou sua identidade. “O cara gravou meus filmes, vasculhou o Facebook das meninas da cidade e achou meu perfil. Como não quis adicioná-lo, ele mandou imagens das minhas performances a todos meus amigos e minha família”, conta. Foi um choque. Os parentes aceitaram só depois de meses, mas até hoje não curtem. Ao mesmo tempo, Bruninha também sentiu-se aliviada. “Foi uma maravilha não precisar mais me esconder nem mentir na hora de falar sobre meu emprego.”

Em seu canal, além de exibições ao vivo, a camgirl protagoniza filmes pornôs produzidos por ela mesma, de forma amadora. “Ao contrário das produções normais do mercado, transo com meus parceiros da vida real, que também curtem o exibicionismo”, conta Bruninha. “Não penso no futuro da minha carreira, se um dia vou virar atriz. Vivo o momento.”

Bissexual, terminou um casamento de cinco anos com um empresário há três anos. “Virou amizade”, conta. E até agora, não pensa em ninguém; prioriza sua carreira. “Os caras são muito ciumentos. Já ouvi várias vezes: ‘ou eu ou a câmera’. Escolho sempre a câmera. Eu, hein? Ninguém manda em mim, não.”

 

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s